Category Archives: Curiosidades

O jornal mais pequeno do mundo é regional e português

Será vendido na próxima segunda-feira, dia 20, com as dimensões de 25×18 mm, tornando-se assim o jornal mais pequeno do mundo.

Falamos do Terra Nostra, um semanário de âmbito regional, que “dedica grande parte da sua informação ao espaço intermunicipal da ilha de São Miguel, onde está inserido, sem, todavia, descuidar os grandes temas nacionais e internacionais que, eventualmente, tenham qualquer correlação com os Açores ou com as suas comunidades, residentes ou não no Arquipélago”.

Anúncios

Diário regional visto por televisão nacional

As Beiras, jornal, redacção, jornalistas… na RTP. Para (re)ver aqui.

O “novo” diário As Beiras

Primeiro o semanário Região de Leiria, agora o diário conimbricense As Beiras. Mais uma renovação gráfica, na linha daquilo que é o título mais mediático do Grupo Lena, o diário i.

O que é o jornalismo de proximidade?

Jornalismo de proximidade: rituais de comunicação na imprensa regional é certamente a obra mais citada quando falamos em jornalismo nas localidades e nas regiões. Mas afinal o que diferencia o jornalismo daquele que é descrito por Carlos Camponez?

Partilhe a sua opinião, experiência, quer seja jornalista ou colaborador de um órgão de comunicação social local ou regional, leitor ou investigador.

Para a história da imprensa regional portuguesa

“Adriano Lucas – O Decano da Imprensa: 60 anos ao serviço dos leitores, de Coimbra, das Beiras e da Liberdade de Imprensa” é o título de um suplemento publicado em vários diários regionais. Apontamentos importantes para a história da imprensa regional portuguesa, como a entrada dos primeiros computadores nas redacções, há cerca de 25 anos.

Setúbal na Rede comemora 13 anos

O primeiro jornal exclusivamente digital, e simultaneamente regional, em Portugal, continua na rede, 13 anos depois. Nascido a 5 de Janeiro de 1998, já passou por períodos de grande dificuldade, sobretudo por ter nascido numa época em que a Internet ainda tinha poucos utilizadores.

Sobre o Setúbal na Rede
Setúbal na Rede assinala 13º aniversário com novos canais (M&P)
Memórias (digitais) das regiões (Jornalices)
Primeiro jornal digital em Portugal faz 12 anos (Jornalices)
“Setúbal na Rede” há 12 anos (Diário2)
Um bom caso de estudo para a imprensa e jornalismo regional (Jornalices)
Um raro exemplo de persistência e lucidez (Jornalices)

A imprensa regional, a Internet e o cidadão

Estudos têm revelado que o número de telemóveis supera a população portuguesa

Há quem defenda a tese do ‘jornalista cidadão’ ou ‘cidadão repórter’. Outros, nem por isso. Pessoalmente incluo-me no segundo grupo. Porém, tal não representa uma postura de discriminação, mas de reconhecimento de competência técnica. As rotinas de um cozinheiro, de um mecânico, de um engenheiro civil… só eles, melhor do que ninguém, as conhecem. Com o jornalista é a mesma coisa.

Os bombeiros, por exemplo, têm uma missão que desempenham na sequência da activação da mesma por parte de, na generalidade, não-bombeiros. Quero dizer, alguém presencia um acidente e liga ao 112, que por sua vez alerta os bombeiros, o INEM.

O papel do cidadão-utilizador nas rotinas do jornalismo é exactamente a mesma. Pode desempenhar um papel crucial, ao presenciar um acontecimento onde não estão jornalistas. Ele detém a informação, já o jornalista tem a competência técnica para dar credibilidade à mesma, de acrescentar-lhe valor.

Sobre o que escrevo, veja-se (mais) um exemplo envolvendo os três elementos referidos no título deste post.